14/07/2013

Que o poema

em ferida
avance

diminuto à fenda
pronto ao hálito do sal

que faça do temor
ardência
elogio
para cicatrizar.

Sem comentários:

Enviar um comentário